Frases Soltas: Crítica/ Filme – A 5ª Onda

22 de junho de 2016

Crítica/ Filme – A 5ª Onda


Cassie é uma típica adolescente americana que vê sua vida mudar completamente quando uma nave extraterrestre aparece no céu dos Estados Unidos. O que parecia que seria uma visita pacífica, na verdade era uma invasão, e a forma dessas criaturas, que foram chamados pelos seres humanos de Outros, começarem a exterminação dos humanos é através de ondas de destruição.

A primeira onda foi o corte de energia elétrica, a segunda onda foi alagamentos das ilhas, cidades praianas e costeiras através de Tsunamis, a terceira onda foi a gripe aviária que foi modificada pelos Outros para ficar sem controle, a quarta onda foi a invasão dos corpos dos seres humanos para torná-los hospedeiros e a quinta onda, que todos pensam que será a última, ainda é desconhecida.




Cassie perdeu seus pais durante as primeiras ondas e agora é responsável por seu irmãozinho, que foi levado pelo exército americano para um lugar seguro. Cassie deveria ter ido com ele, mas o ônibus do exército partiu quando ela foi buscar o ursinho que seu irmão havia esquecido, fazendo com que os dois ficassem separados. Agora a garota terá que sobreviver em um ambiente hostil, seguindo em busca de seu irmãozinho, para cumprir a promessa que ela fez, de que sempre cuidará dele.


A premissa do filme de extraterrestres invadindo a Terra é um pouco batida pra mim, mas isso não fez com que o filme fosse maçante. Um pouco previsível talvez, afinal, quais as chances de num mundo pós apocalíptico, você ser salva pelo típico galã de filmes adolescentes? Além disso, me liguei em qual seria a quinta onda bem antes da revelação, o que deixou o final óbvio pra mim. Entretanto, tem algo nessa história que me prendeu e acabou me deixando com vontade de ler os livros, pra ver se adaptação foi fiel e saber o que vai acontecer caso os outros livros da Trilogia não sejam adaptados.



O filme é bem emocional, cheio de perdas, mortes e cenas de solidão de Cassie na jornada pela busca de seu irmãozinho. Também dá aflição nas cenas de clímax e você fica torcendo pelos mocinhos pra que eles fiquem bem. Tem cenas de ação, tem romance, cenas tocantes, reviravoltas e muitos clímax, o que faz com que o filme prenda o expectador do começo ao fim.


O filme é bem mais do mesmo e previsível como eu disse mais acima, mas eu gostei, dá pra assistir em família tranquilamente num sábado a noite comendo uma pipoquinha. Agora vou procurar os livros pra ler pra saber como vai acabar essa distopia (aventura?). Terminando as leituras venho contar pra vocês se os livros são melhores que a adaptação.

Fiquem com o trailer  :)


comentário(s) pelo facebook:

3 comentários:

  1. Não li os livros e nem vi esse filme, mas ouvi coisas boas, então vou procurar o assistir!
    Adorei a resenha, valeu pela dica!


    Bjooos
    muitospedacinhosdemim.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Comecei a ler o livro essa semana e me parece que a adaptação foi bem fiel, espero que goste :)

      Excluir
    2. Comecei a ler o livro essa semana e me parece que a adaptação foi bem fiel, espero que goste :)

      Excluir