Frases Soltas: Literatura:Joyland

9 de novembro de 2015

Literatura:Joyland



Devin é um típico garoto de 20 anos que está se auto descobrindo.  Sua mãe faleceu e ele mora sozinho com o pai, está na universidade e está apaixonado por uma garota. A vida pra ele estava tranquila, ele só precisava fazer um pouco mais de dinheiro pra se manter, então e ele decide pegar um trabalho de verão no parque Joyland.


Lá ele fica maravilhado com a aura do parque, com as pessoas interessantes e diferentes, aprende a linguagem dos funcionários e faz dois grandes amigos. Então, Madame Fortuna, a vidente de Joyland faz uma previsão de que ele conhecerá duas crianças, uma garota com uma boneca e um menino com um cachorro, uma dessas crianças tem um dom muito poderoso, ela não sabe qual, que poderá mudar significantemente a vida de Dev. A profecia se realiza, e ele realmente conhece essas duas crianças.Uma delas acaba se tornando muito importante pra ele, e mudando de verdade sua vida, lhe dando um propósito e a crença de que o mundo tem fenômenos inexplicáveis.


Dev também toma conhecimento de que um assassinato aconteceu no parque, um serial killer que nunca foi encontrado pela polícia, matou uma garota dentro de um dos brinquedos, e várias pessoas afirmam que estão vendo o fantasma da garota, que parece pedir ajuda.

É nesse clima de mistério que a história vai se desenrolando, mas ao contrário dos livros policiais comuns, Joyland nos envolve de forma suave e doce. Este é um livro que aquece seu coração durante a leitura, não tem como não se apegar ao Devin, ele é o amigo que todos nós gostaríamos de ter, solícito, despojado, dedicado, com um ar de melancolia no rosto e que está sempre ali pra você.



Eu leio muito Stephen King, sou muito fã do titio, e sempre acabo me surpreendendo com o dom que ele tem de me envolver nas suas histórias. Ele é o meu remédio pra ressaca literária. Eu me encanto com a narrativa, seja ela mais focada no terror ou na vida dos personagens, e com Joyland não foi diferente, quando terminei a leitura fiquei com aquela sensação de querer que o livro não acabasse, esperando por um posfácio que infelizmente não existiu.

Joyland é curtinho, tem só 240 páginas e a história é tão gostosa de ler que quando você se dá conta, já passou da metade do livro.


Super recomendo!

comentário(s) pelo facebook:

2 comentários:

  1. Achei Joyland muito bom, mas acredito que seria melhor ainda se fosse mais explorado o lado sobrenatural ou o suspense policial.

    bomlivro1811.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também senti falta disso, mas gostei muito do livro, é uma daquelas histórias que te fazem sentir bem :)

      Excluir