Frases Soltas: Resenha: Trilogia do Mago Negro - Livro 3 - O Lorde Supremo

2 de novembro de 2015

Resenha: Trilogia do Mago Negro - Livro 3 - O Lorde Supremo



O Clã está sendo ameaçado. Os ichanis, magos sachakans praticantes de magia negra, que não fazem parte do Clã, querem vingança. Vingança por uma guerra antiga entre eles e o Clã que acabou devastando Sachaka, e também vingança pessoal contra Akkarin, por ter matado Dakova, irmão de Kariko, um poderoso ichani.

O passado obscuro de Akkarin, o Lorde Supremo é revelado para Sonea, bem como suas práticas de magia antiga (negra), e Sonea tem que decidir se vai se tornar uma aliada ou se vai virar as costas para o seu guardião.

Como o perigo que ameaça Királia é grande e uma das únicas formas de proteger a cidade dos Sachakanos é aprendendo magia negra, ela decide ser aprendiz de Akkarin. Ela começa a ajudá-lo, juntamente com Cerry, a capturar espiões sachakanos, para descobrir o que eles planejam no ataque.

Quando um mago do Clã morre assassinado, ao magos encontram uma pedaço da túnica de Akkarin no corpo, e depois de uma breve investigação, acabam descobrindo que ele e Sonea vem praticando magia antiga, o que é proibido.

Eles são julgados e condenados ao exílio, justamente para a cidade de Sachaka, porque o Rei espera que eles sejam assassinados pelos supostos ichanis. Eles partem, mas ao sentir que o Clã precisará de toda a Judá que puder, eles retornam, escondidos, para defender a cidade de Királia.

O livro tem um ritmo lento e o enredo maçante. A única coisa interessante foi o passado de Akkarin e o seu relacionamento com Sonea, que se transformou em amor. Toda aquela interação dos magos com o Rei e as muitas reflexões pessoais tentando descobrir a linha de raciocínio dos sachakans e dos outros magos deixaram a leitura muito chata.




Sem falar dos personagens descartáveis, que foram incluídos na história só para ocupar espaço. Regin, que foi tão presente no segundo livro, aparece neste volume, mas não acrescenta nada. E o desenvolvimento de Savara deixou muito a desejar, afinal, quem era ela? Pra quem ela trabalhava? Por que ela não podia revelar sua história a Cerry e por que ela não pode ajudar os magos do Clã? A sensação que deu foi que ela só foi incluída na história para fazer par romântico com Cerry, achei desnecessário.

Enfim, os dois últimos livros foram melhores que o primeiro, mas a história não me conquistou. Esperava um final melhor pra Sonea, contando o que aconteceu com ela depois de ter superados todos os seus fantasmas, mas infelizmente, o livro acabou de forma abrupta, com muitas pontas soltas. Ao menos Dannyl teve um final feliz.

Não curti.

Duas Estrelas.



comentário(s) pelo facebook:

3 comentários:

  1. Depois de várias resenhas que li desta saga confesso que não estou muito animado para iniciar a leitura.

    bomlivro1811.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha Maurilei, não sei se eu é que não estava numa boa fase pra ler esses livros ou se eles realmente são mornos,mas a história não me prendeu não :(

      Excluir
  2. Olá, tudo bem?
    Eu sempre quis conhecer a trilogia do "Mago Negro", mas confesso que a grossura me assusta um pouco rsrsrsrs
    Estou numa fase que estou lendo pouco, pois estou sem tempo, por isso, estou dando prioridade para livros mais curtos.
    Uma pena que a história não agradou você! :/

    Abraço!
    http://tudoonlinevirtual.blogspot.com/

    ResponderExcluir