Frases Soltas: Resenha: Trilogia do Mago Negro - Livro 1 - O Clã dos Magos

19 de outubro de 2015

Resenha: Trilogia do Mago Negro - Livro 1 - O Clã dos Magos



Sonea é uma garota humilde, moradora das favelas de Imirim. Sua mãe faleceu e seu pai foi embora, deixando-a para ser criada pelos seus tios. Quando criança, Sonea fazia parte de uma gangue juvenil. Junto com um bando de garotos, ela saqueava os moradores da cidade, roubava comida e se defendia como podia de outras gangues agressoras. Depois que cresceu, Sonea decidiu se afastar dos garotos e legar uma vida mais correta junto de seus tios.

No dia da Purificação, um evento anual onde o Reino de Kyralia é limpo de pessoas pobres e mendigos pelos magos a mando do rei, Sonea escuta alguns guardas comentando sobre uma armadilha para pegar alguns membros antigos de sua gangue. Ela então decide avisa-los, mas quando encontra os líderes do bando (Harrin e Cerry), acaba se envolvendo junto com eles num protesto contra a Purificação.


Durante esse protesto, as pessoas jogam pedras nos magos, que são os responsáveis pela limpeza das ruas por meio de magia. Nenhuma pedra os acerta porque eles colocam um escudo de proteção, ou seja, a população joga pedras somente para demonstrar que não concorda com aquele ato. Só que neste dia, uma das pedras arremessadas acaba passando pelo escuto e acertando um dos magos. Justamente a pedra arremessada por Sonea.



Esse fato inédito causa uma comoção geral, visto que somente alguém que tem a habilidade de usar magia poderia penetrar o escudo dos magos. Numa tentativa falha de encontrar Sonea no meio da multidão, os magos canalizam sua energia num garoto que estava do lado dela, e acabam assassinando o pobre rapaz.

Como os magos não tem uma boa fama e Sonea acabou de presenciar um assassinato que deveria ter sido o dela, ela segue o conselho de seu amigo Cerry e foge, assustada e confusa, para salvar a sua pele e não causar mais a morte de ninguém.


Mas um dos magos a viu, e encabeça uma caçada pela  garota, a fim de tentar esclarecer como foi que ela utilizou magia se não era uma maga treinada. Afinal um mago que não tenha sido treinado não só é um perigo pra si mesmo como pra qualquer um a sua volta.





O livro fica bem focado nessa busca dos magos por Sonea até a página 300, o que deixou a leitura bem lenta e maçante. O enredo é bom, e teria de tudo pra ser um livro intenso e interessante, mas, a falta de informações sobre o passado dos magos, em especial Rothen e Dannyl, que pareceram ser os únicos que estavam a favor de Sonea, não me deixaram fazer nenhuma conexão com eles, nem boa, nem ruim. A história de Sonea também foi mal desenvolvida, não tive nenhuma informação válida sobre ela que justificasse a sua capacidade de fazer magia. A tentativa de romance com Cerry foi interessante, mas ficou só nisso, uma tentativa, uma ideia que não vingou, mesmo na parte em que Sonea teve que fazer uma escolha que podia mudar o destino dos dois, foi como senão existisse sentimentos fortes o bastante por parte dela. E não, não houve nem um beijo, o que me fez pensar alto "pode um romance ser mais frustrante que isso?".




Infelizmente não fui cativada por essa história. Uma amiga me disse que nos livros seguintes a história melhora, por isso não vou desistir ainda. Mas fiquei desapontada com o primeiro livro por ele ter uma premissa super interessante e se revelar tão sem sal. A leitura só começa a valer a pena nas últimas 150 páginas, que é quando a autora corre pra tentar amarrar as várias pontas soltas que ela deixou nas 300 primeiras.

Simbora pro próximo pra ver se melhora :)

Classificação: Três estrelinhas




comentário(s) pelo facebook:

Um comentário:

  1. Tenho a saga na estante mas confesso que não estou muito animado para iniciar a leitura !

    bomlivro1811.blogspot.com.br

    ResponderExcluir