Frases Soltas: Resenha: Noites em Florença - Livro 1 - A Transformação de Raven

2 de abril de 2015

Resenha: Noites em Florença - Livro 1 - A Transformação de Raven

É tarde da noite em Florença, Raven está voltado sozinha pra casa de um encontro com seus amigos. Ela em uma deficiência na perna que faz com que suas passadas sejam mais lentas, portanto sua caminhada será mais demorada do que a de uma pessoa “normal”. 

Apoiando-se em sua bengala, Raven seguiu seu caminho divagando sobre a noite alegre que teve na companhia de seus amigos quando se depara com uma cena horrível. O mendigo que sempre fica embaixo da ponte está sendo espancado por três algozes, sem pensar, Raven tenta defender o homem que nunca incomodou ninguém, fazendo com que os agressores se virassem contra ela.

A garota é espancada e escuta ameaças de estupro, seu medo é enorme, e sua deficiência a impede de correr, o que torna tudo mais aterrorizante. Depois de uma forte pancada na cabeça, a garota desmaia, e tudo se torna tranquilo.

Algum tempo depois, Raven acorda diferente, não só psicologicamente, mas também fisicamente. A deficiência que ele tinha na perna sumiu, e ela pode andar normalmente, até correr e pular, coisa que não fazia desde os seus 12 anos de idade. O resto do seu corpo também está diferente. Raven que sempre fora bem acima do peso estava magra, seus cabelos que sempre foram desgrenhados, agora estavam brilhantes e sedosos, seu rosto estava magro, os músculos bem definidos e os olhos mais vivos do que o normal.

A garota custou a acreditar que a imagem que via no espelho era realmente dela, além do que não se lembrava de nada do que tinha acontecido. Ela começou a imaginar se havia sido drogada, mas como não se lembrava de nada do que tinha acontecido, resolveu aceitar a mudança positiva, por mais estranha que ela fosse e foi para o seu primeiro dia de trabalho na Galleria degli Uffizi como restauradora de quadros.

Raven causou estranheza e espanto por onde passou, principalmente a seus amigos que não reconheceram a garota. Quando chegou no trabalho ela descobriu que ficou desaparecida pro uma semana, e por não se lembrar onde estava nem o que tinha acontecido, acabou se tornando a maior suspeita do roubo das ilustrações de Botticelli que os Emersons tinham emprestado para o museu para que eles fizessem uma exposição.

Além de ter que lidar com a sua transformação e com o fato de que agora é suspeita de roubo de patrimônio histórico, Raven também terá que lidar com um homem misterioso que está invadindo seu apartamento, dizendo que ela tem que ir embora de Florença a qualquer custo.

Raven é uma garota muito sofrida e triste, ainda sim, ela tem uma grande bondade em seu coração. Só que ela não consegue se ver como uma mulher atraente, pelo contrário, por estar fora dos padrões físicos impostos pela sociedade, ela começa a se enxergar com os olhos daqueles que a veem como gorda e feia. Sua deficiência física só agrava o seu problema de auto estima, e por conta disso, ela não acredita que um “homem” tão atraente como Willian, o Príncipe do submundo de Florença possa se sentir atraído por alguém como ela..

Esse livro conta o início da história de amor entre uma garota sem auto estima e um condenado que não sabia que ainda tinha a capacidade de amar. Como nos seus outros livros, Sylvain dá uma verdadeira aula sobre Dante, Botticelli e obras renascentistas, o que pra mim foi realmente interessante, apresar dele se estender demais em algumas cenas. A trilha sonora também foi maravilhosa, e várias vezes me peguei procurando no youtube as músicas que foram mencionadas na história. Porém o enredo deixou um pouco a desejar. Ele é cheio de partes compridas e maçantes, e eu quis matar Raven várias vezes quando ela se menosprezava, quando ela quis ficar longe do vampiro lindo que confessou várias vezes que a queria por achar que ele estava mentindo. O livro tem um clima diferente da Trilogia Gabriel. Na história de Gabriel e Julianne, várias vezes me deparei com diálogos divertidos, nesta série isso não acontece, ela é mais sombria, mas séria. E acho que foi justamente desse bom humor que eu senti falta nessa história.

Achei muito legal o fato da mocinha da história ser completamente o oposto de Julianne, e ainda sim tão interessante quanto. O Príncipe também está muito melhor nesse volume do que no livro de introdução (O Príncipe das Sombras), mais ainda sim, não fui arrebatada. Como gostei desse autor (autora?), vou acompanhar a série, mas pelo menos por enquanto, a Trilogia Gabriel é a minha preferida.

E lá vou eu, esperar por tempo indeterminado pela continuação L




Resenha do Mês de Abril do Desafio do Tigre. Tema: De Autor Estrangeiro. Para saber mais sobre o Desafio, basta dar uma olhadinha neste post aqui ou acessar a página do DL no facebook.

comentário(s) pelo facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário