Frases Soltas: Resenha: Escuridão Total Sem Estrelas

17 de abril de 2015

Resenha: Escuridão Total Sem Estrelas

RESENHA COM SPOILERS!!!!!

Assim que eu soube que a editora Suma de Letras iria lançar Escuridão Total Sem Estrelas (Full Dark No Stars) fiquei de olho nas lojas virtuais pra comprar na pré venda. As críticas internacionais (as oficiais e as de blogueiros) desse livro foram todas positivas, o que aguçou ainda mais a minha curiosidade sobre ele, então não pude resistir à tentação de pagar um pouco mais para devorar o mais novo livro do mestre.

Escuridão Total é composto de quatro contos macabros e intensos, que exploram o pior lado do ser humano. A inveja, vingança, cobiça estão presentes em todas as histórias, bem como a sensação de traição, seja por seus cônjuges, por seus filhos ou por amigos próximos.

Em 1922 Encontramos Wilf e Arlette vivendo numa fazenda com seu filho Henry. O Casamento deles estava bem, até que Arlette herda 100 acres de terra. Seu marido acredita firmemente que esses acres lhe pertencem, afinal ele é o chefe da família, o homem no comando de tudo. O que o pega de surpresa é que sua esposa quer vender as terras para um matadouro de porcos, e se mudar com a família para a cidade. Isso faz com que Wilf se sinta traído, e ele começa a fazer a cabeça do seu filho pra que ele fique contra a mãe e tente convencê-la da besteira que está fazendo. Seu plano dá certo, e seu filho começa a se virar contra a mãe, mas ela não muda de ideia, o que leva Wilf a tomar uma atitude mais drástica, matar sua esposa com a ajuda de seu filho e jogar seu corpo dentro de um poço.

No conto Gigante no Volante somos apresentados à escritora Tess, que está a caminho de fazer uma palestra de última hora numa biblioteca próxima. Tess está fazendo um fundo para a sua aposentadoria, e qualquer dinheiro que ela possa ganhar para aumentar consideravelmente essa quantia é bem vinda. Depois da palestra, sua contratante sugere que ela pegue um atalho para voltar pra casa e ela aceita a indicação de uma nova rota, pensando em economizar tempo. O que ela não poderia imaginar é que se veria presa em um conto de terror quando seu carro passa por cima de madeiras cheias de pregos que alguém propositalmente colocou lá. O homem gigante (2 metros) que lhe ofereceu ajuda, na verdade a estupra e joga seu corpo num cano quando pensa que ela está morta, mas ela estava viva, e sua cabeça de escritora começa a maquinar o melhor jeito de se vingar.

Em Extensão Justa encontramos o bancário Dave Streeter que está com câncer terminal. Quando ele estava saindo com o seu carro, se deparou com uma loja, próxima ao aeroporto, que ele nunca tinha notado antes, uma loja que vendia extensões, mas extensões de quê? Foi o que ele foi conferir e de deparou com a maior surpresa que poderia ter, por um preço bem interessante (não foi a sua alma), ele poderia ter pelo menos mais 15 anos de extensão para a sua vida, mas as consequências disso seriam intensas e desastrosas, ainda que não fossem pra ele.

Um Bom Casamento trouxe à tona várias perguntas que quem está há muito tempo casado poderia se fazer tranquilamente: será que você conhece realmente seu parceiro? Será que a imagem que ele passa pra você é real? Será que você realmente sabe tudo que é importante saber sobre ele? Você confiaria a sua vida a essa pessoa? Todos temos segredos, todos omitimos coisas e situações que acontecem o nosso dia a dia, mas o que fazer quando se percebe que o segredo de quem convive com você há anos é tão escabroso que você não conseguirá viver em paz consigo mesma depois de ter descoberto? Darcy descobriu o “esqueleto que seu marido escondia no armário” e terá que tomar uma decisão importante, uma decisão que não só mudará a sua vida e a tirará de seu comodismo, como influenciará diretamente na vida daqueles que ela ama.






Eu pensei muito sobre qual seria o meu conto preferido neste livro, mas não consegui decidir. Gostei de todos eles e senti muita aflição durante a narração das cenas de violência que foram super detalhadas. Eu não sou muito fã de livros de contos, prefiro as histórias longas, os livros grandes, mas esse foi uma exceção, eu adorei e achei impressionante o fato de conseguir ficar pensando sobre os contos por muito tempo depois de ter terminado a leitura, e pensei não só em um, mas sobre todos eles.

A edição está linda, com as bordas das páginas pretas, letras num bom tamanho e páginas amarelas. E o posfácio  está muito interessante, como em todo os outros livros do King.

Super indico!




comentário(s) pelo facebook:

2 comentários:

  1. Olá, tudo bem?

    Quero ler este livro. Quatro contos? Lembrou a estrutura de... Quatro Estações. Deve ser uma cisma "mística" (supertição?) do velho Steve.

    Gostei do trabalho gráfico: o corte negro...

    Gostei de seu blogue.

    Abraços,

    Kleiton

    http://kleitongoncalves.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Estou lendo e curtindo muito. As histórias são bem impactantes. E a arte do livro é demais. Quando o leio no ônibus muita gente olha para aquela "pretidão" e fica tentando ler o título na capa. Bacana o blog, desse computador não dá pra seguir, mas eu faço isso mais tarde, prometo.

    http://porquelivronuncaenguica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir