Frases Soltas: Resenha: Eleanor & Park

18 de agosto de 2014

Resenha: Eleanor & Park

Eleanor e Park foi um livro que mexeu com o meu coração. Li ele na madrugada de sábado e tive que passar a resenha na frente porque eu não consigo parar de pensar na história.

Eles são o casal mais improvável, ela ruiva cacheada, que usa as roupas mais estranhas que se pode imaginar, de família humilde e repleta de problemas, ele mestiço de descendência coreana, vindo da família perfeita, curtindo punk, rock e quadrinhos.

Uma das coisas que eu mais gostei nesse livro foi que o amor dos dois aconteceu devagar, não foi a primeira vista como em vários romances que eu já li, muito pelo contrário, a atração foi se estabelecendo aos poucos, durante os breves minutos que ambos passavam sentados lado a lado no ônibus escolar, folheando quadrinhos sem se falar.

Nenhum dos dois é perfeito, e vemos isso claramente na história, as dúvidas em relação ao outro, as críticas subconscientes, a vergonha, o medo de se expor por conta da reação das pessoas ao redor está muito presente, e é isso que faz desse livro uma leitura que prende, a sensação de que esses personagens poderiam ser pessoas reais, amigos que convivem conosco.

Além de lidar com os problemas comuns da adolescência, os dois tem que lidar com problemas com seus pais (Eleanor muito mais do que Park), que não os aceitam como são (no caso de Park), e que não dão valor à família (no caso de Eleanor).



Confesso que chorei muito lendo esse livro porque a vida de Eleanor me apertou o coração, imagine uma adolescente que precisa ser invisível, passando fome seus irmãos menores, sem roupas para vestir, tendo que lavar o cabelo com shampoo antipulgas e sem escova de dente (ela usava sal L), vendo a mãe ser abusada pelo padrasto, e ainda ser julgada pela mãe de seu namorado...



O ápice pra mim foi o momento em que a mãe de Park finalmente entendeu o porquê de Eleanor não ser uma garota típica, com esmaltes nas unhas e maquiagem no rosto. Eu me emocionei demais lendo isso porque a observação que ela fez foi real demais. “Quando você vem de família grande, você fica fino, igual papel, ninguém recebe o que precisa”, acreditem, falando com conhecimento de causa, não recebe mesmo, chorei porque eu queria que Eleanor fosse aceita e que pelo menos alguma coisa na vida dela desse certo.




Só quem é amante de livros sabe como é torcer pra que um personagem sofrido tenha um final feliz e consiga sair do buraco em que se encontra, eu me senti assim em relação à Eleanor, super protetora como se ela fosse minha filha, e agradecida por ela ter o Park, que a aceitou, que esteve a seu lado quando ela precisou e soube apoiar as decisões dela quando ela mais precisava.

Primeiro livro sorteado na minha TBR Book Jar e mais um livro que eu vou indicar e dar de presente pra todo mundo que eu puder. A história é tocante, triste, mas muito bonita, ainda bem que em breve terá um filme e uma continuação. 

Essa será mais uma autora que eu vou ler tudo que for publicado. Indico de olhos fechados!






comentário(s) pelo facebook:

Um comentário:

  1. Ai, como eu quero ler esse livro! Ótima escolha da TBR Jar, hein? haha Eu só não queria ler em português porque não sou muito fã da Novo Século :/ sempre coloco no carrinho do Book Depository e desisto quando penso nos meus livros não lidos em casa haha
    Sua resenha me deu mais vontade ainda de lerrrr, dammit! haha

    Beijo <3

    ResponderExcluir