Frases Soltas: Resenha: O Lado Mais Sombrio

28 de abril de 2014

Resenha: O Lado Mais Sombrio

 Pra participar da promoção e concorrer a um exemplar desse livro, clique aqui.


Atenção, tem Spoilers moderados!

Alyssa é uma garota skatista que mora com seu pai em um pequeno apartamento. Sua mãe está internada em uma clínica de repouso por ter problemas psiquiátricos, que descendem de Alice, a garota que inspirou Lewis Caroll a escrever o livro “Alice no País das Maravilhas”.

Alyssa é tataraneta de Alice, e sua vida é bem conturbada em razão desse fato. A garota não tem muitos amigos e está começando a ter alucinações como sua mãe. Ela ouve as plantas e os insetos sussurrarem pra ela, tem impressões estranhas quando fica diante do espelho e sonha com um amigo misterioso que a seduz para um mundo desconhecido.

Ao fazer uma visita para sua mãe na clínica em que ela estava internada, Alyssa descobre que sua mãe não está realmente louca, pois as duas ouvem quando as plantas e os insetos sussurram “Ele está aqui.” A mãe de Alyssa tem uma crise nervosa e acaba revelando à filha que a família delas foi amaldiçoada, e que só uma descendente de Alice pode quebrar essa maldição.

Alyssa então vai em busca da tocado coelho, para salvar sua mãe e seus descendentes da maldição, mas também por estar intrigada pra descobrir quem é o “ele” a que os insetos se referem.

Ao mesmo tempo em que admirei esse cenário gótico, cheio de personagens caracterizados de forma interessante, fiquei meio perdida na narrativa pelo excesso de informações e a rapidez com que todos os fatos se desenrolaram.

Por outro lado, o dinamismo da história faz com que não percamos o interesse fácil, pois a cada página virada, um fato novo se revela, prendendo o leitor pela sua curiosidade.

Alyssa me cativou por ser uma mulher forte e determinada, mas me irritou muito as cenas em que ela ficava pensando na Taelor quando Jeb estava bem ali na cara dela, tentando se aproximar, demostrando que estava afim dela, que estava ali por ela.

Apesar de ser um humano, Jeb foi um verdadeiro cavaleiro élfico, tinha devoção por Alyssa, preocupação, carinho e cuidado. Eu não poderia imaginar um par melhor pra ela, exceto por Morpheu.

Morpheu é um daqueles personagens misteriosos que despertam a curiosidade feminina. Sempre enigmático, ficava difícil entender o porquê dele estar submetendo Alyssa à tantas provações. Ele arquiteta tudo como uma aranha faz sua teia, e quando finalmente seus motivos foram revelados fiquei surpresa. Eu desconfiei por conta das várias pistas que a autora deixou durante a história, mas ainda sim fui surpreendida.


Foram tantas as reviravoltas que eu fiquei esperando um final triste, ou algum gancho por próximo livro, por se tratar de uma trilogia. Apesar de terem ficado muitas pontas soltas, principalmente em relação à mãe de Alyssa e seu tempo no País das Maravilhas, a autora fez o contrário, deu um final que certamente agradará aos leitores. Eu particularmente, gostei bastante.





A capa dessa edição é linda, a diagramação então, nem se fala, o pessoal da Novo Conceito está de parabéns, a única coisa que me incomodou foram os vários erros de grafia e concordância que eu encontrei. Nunca liguei muito pra isso, mas nesse livro me deparei com alguns casos em que pensei “Aff! Como isso passou despercebido?”.

Vou dar três estrelas porque o porque o livro é uma brisa total e muito muito descritivo,  por diversas vezes me vi querendo ler pulando parágrafos. Também ficou muita coisa no ar a certa das mulheres da família, principalmente a mãe de Alyssa.

A história é muito bonita, fala de amor, de dedicação e de sacrifício. Mas quando começar essa leitura, esteja preparado pra entrar num mundo de devaneios e fantasia, porque é disso que o País das Maravilhas se trata, um mundo de sonho que num piscar de olhos pode se tornar um grande pesadelo.







comentário(s) pelo facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário