Frases Soltas: Resenha: A Saga dos Corvos - Livro 1 - Os Garotos Corvos

26 de fevereiro de 2014

Resenha: A Saga dos Corvos - Livro 1 - Os Garotos Corvos

Comecei a leitura dos Garotos Corvos por conta do Desafio Literário do Tigre. O tema de fevereiro é “Julgando Pela Capa”, e consiste em escolher a sua próxima leitura baseada numa capa que te chamou a atenção.


Fui com o meu marido em uma livraria só pra olhar as capas e me encantei com o corvo desse livro. Tirei uma foto da capa, e alguns dias depois, comprei.

Nunca tinha lido nada da Maggie Stiefvater e comecei a leitura sem nem mesmo ler a sinopse, pra ser surpreendida pela trama.

O livro é o primeiro volume da Saga dos Corvos, que gira em torno da busca de um grupo de amigos, formado por Gansey, Adan, Ronan e Noah, pelas linhas Ley, mais conhecidas como O Caminho das Fadas ou O Caminho dos Corpos. Gansey é o líder desse grupo, e a sua busca é tão intensa que chega a consumir, se não todo, grande parte do seu tempo livre.

A princípio não conseguimos entender o porquê dessa obsessão de Gansey, mas no decorrer da história, a autora vai narrando de forma poética alguns episódios que aconteceram durante a infância do garoto, que justifica não só a busca por esse caminho de poder, como também a necessidade que ele tem de encontrar  Glendower e dar um sentido à sua vida.

Blue á a última a se unir ao grupo. Filha de uma médium psíquica, ela tem o dom de intensificar o poder dos que estão perto dela, servindo como uma catalisadora. Ela nunca tinha tido uma experiência paranormal até o dia em que seguiu pelo Caminho dos Corpos com sua tia no dia de São Marcos e se deparou com a alma de um garoto, que estava fadado a morrer no prazo de um ano. O garoto lhe disse seu nome, “Gansey, apenas isso”, e após esse episódio, Blue se sentiu parte de algo maior, como se tivesse sido escolhida para um grande feito, e tomou pra si a missão de impedir a morte do garoto.

A narrativa da Maggie é muito peculiar. As descrições das cenas são intensas, profundas, ricas em detalhes. Os sentimentos dos personagens, bem como a estruturação dos mesmos, me fez lembrar livros de poesia.

Ainda falando dos personagens, todos eles carregam uma tristeza, um “semblante”, que geralmente pessoas mais esclarecidas quanto ao incompreensível e sobrenatural carregam, como um tipo de sabedoria proveniente de vidas difíceis. 

Meu personagem preferido foi de longe o Adam. Eu tenho uma queda por personagens sofridos, e dos integrantes do grupo, ele é o que se encaixa nessa particularidade.

Essa história é bem rica, mas também deixa a desejar em alguns pontos. Um deles é a demora em esclarecer alguns dos mistérios que circundam o livro. Veja bem, não estou dizendo que tudo tem que ser revelado de pronto, mas me senti bem perdida com tantas explicações superficiais sobre assuntos nos quais eu sou leiga. Confesso que fui pesquisar no Google sobre as linhas Ley e sobre várias outras lendas mitológicas e medievais que aparecem no livro, só pra eu não me sentir tão aérea.

Um fato que foi pouco abordado no livro, mas que nos foi revelado desde o primeiro capítulo é que, no dia que Blue beijar seu amor verdadeiro, o rapaz vai morrer. Eu achei que isso seria esclarecido, que teríamos uma pista do porquê isso vai acontecer, no entanto, essa peculiaridade sobre a garota foi deixada de lado, provavelmente para ser melhor desenvolvida nos outros livro da Saga.

Uma coisa que me incomodou bastante foi o fato de Gansey sempre estar sendo julgado, por seus próprios amigos, pelo seu dinheiro e pela sua cultura, quando ele sempre esteve disposto a ajudar todos eles, sempre que precisaram. Fora que ele não se encaixa nem um pouco no estereótipo de garoto rico e mimado.

Enfim, esse livro me surpreendeu de várias formas positivas. Com certeza vou ler outras histórias da Maggie, já estou até pensando em começar a série Os Lobos de Mercy Falls, tenho visto muitas resenhas positivas sobre ela.

E como o tema é Julgando pela Capa, fiquem agora com algumas fotos que eu tirei do livro. Capa linda meu Deus!










Resenha de Fevereiro do Desafio Literário do Tigre. Pra saber mais sobre o Desafio, basta dar uma olhadinha neste post aqui ou acessar a página do DL no facebook.



comentário(s) pelo facebook:

2 comentários:

  1. Estou há meses querendo esse livro, e parece que não vou me decepcionar. Sou fã da Maggie Stiefvater, tanto pela série Os Lobos de Mercy Falls (fofinha e triste) quando por A Corrida de Escorpião (INCRÍVEL). Recomendo qualquer livro dela!

    Beijos! || ape56.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Naty. Terminei hoje o primeiro livro dos Lobos de Mercy Falls, to gostando da autora, vou ler outros livros dela :)

      Beijinhos

      Excluir