Frases Soltas: Resenha: Maze Runner - Livro 2 - Prova de Fogo

4 de março de 2013

Resenha: Maze Runner - Livro 2 - Prova de Fogo


“O CRUEL é bom”

Li o primeiro livro dessa trilogia em 2011 e fiquei apaixonada. O livro me prendeu de tal forma, que até sonhar com ele eu sonhei durante algum tempo.

Thomas, que pensava que estar a salvo, descobre que na verdade o refúgio onde ele se encontra, não passa de mais um experimento do CRUEL. Depois de serem alimentados e limpos, os garotos se deparam com os corpos das pessoas que os resgataram pendurados no teto. Tereza sumiu, e no quarto onde ela estava agora está um garoto chamado Aris, que nenhum dos Clareanos tinha visto antes.

Não bastasse isso tudo, atrás de uma barreira invisível, se encontra um homem com cara de rato, que avisa aos meninos que eles foram infectados com o Fulgor, uma doença que vai lentamente degenerando o cérebro, deixando as pessoas loucas como os Cranks.

Ele e seus amigos Clareanos tem que encarar um novo desafio mortal, onde terão como missão chegar ao Refúgio Seguro, onde a cura para o Fulgor os espera, dentro do tempo limite que o homem com cara de rato estipulou.

Thomas e os Clareanos se deparam com uma porção de armadilhas pelo caminho, desde esferas voadores que grudam nas suas cabeças e se alimentam delas, até Cranks insanos que tentam mata-los no decorrer do caminho.

Além dos garotos do primeiro livro, descobrimos neste, a existência de um segundo grupo, formado por garotas que também passaram pelas experiências pelo Labirinto, e quando eles finalmente se encontram, boa coisa não sai, e acontece uma reviravolta perturbadora na trama, que provavelmente vai deixar você “P” da vida.

Ninguém é confiável nesse livro, e eu acho que o grande desafio é esse afinal, seguir por um caminho desconhecido e cheio de perigos, sem poder contar com as pessoas que se tinha certeza que podia confiar e que se mostraram traidores.

Demorei pra ler esse segundo volume porque ele sempre estava esgotado nas lojas de comércio eletrônico e sempre muito caro nas livrarias, mas sabe, toda a espera valeu a pena, mesmo eu tendo esperado descobrir alguma coisa mais significativa sobre o CRUEL e seus experimentos e tendo acabado mais perdida do que o Thomas.

O universo criado pelo James Dashner é envolvente e bizarro, a história é original e perturbadora e mesmo lendo outras coisas diferentes, este livro com certeza vai ficar na minha cabeça por muito tempo.




comentário(s) pelo facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário