Frases Soltas: Resenha: Garotas de Vidro

14 de janeiro de 2013

Resenha: Garotas de Vidro

Este livro conta a história de duas grandes amigas Lia e Cassie, que um dia fizeram uma aposta que selaria seu destino e sua vida, a de quem ficaria mais magra.

Cassie e Lia, ao levarem essa promessa adiante, desenvolveram um distúrbio alimentar gravíssimo, as duas ficaram anoréxicas e Cassie acabou falecendo por ter desenvolvido bulimia além da anorexia.

Lia, mesmo atormentada com a perda de sua grande amiga, ainda permanece com o distúrbio, nenhum peso é suficiente, ela sempre vai se enxergar gorda, mesmo pesando apenas 40 quilos.

Este livro é perturbador. A maneira como Lia se refere a si mesma e a tortura que é pra ela não se achar merecedora de alimento, sempre se punindo, sempre se julgando é angustiante.

Vê-la definhando, não aceitando ajuda das pessoas que a amam e se cortando (sim, ela se corta pra esquecer a fome), é muito difícil porque não se trata apenas de uma personagem de livro, há muitas garotas por aí que passam por esse problema e não são fortes o suficiente para amar a si mesmas como elas são, sem artifícios, com uma gordurinha aqui e outra ali.

Fiquei imaginando como deve ser difícil se encontrar numa situação como essa, sem ter chão, sem saber como lidar corretamente com esse tipo de sentimento sobre si mesma, achando que os outros enxergam uma coisa que não existe, onde você se vê gorda e os outros te veem magra demais.

É um livro forte, que lida com situações que não tem a divulgação e a prevenção necessária, um livro que fala da maldição que é o estereótipo da magreza como padrão de beleza, um livro perturbador. Senti muito por Lia, me preocupei com ela, fiquei puta com ela, me emocionei e torci pra que ela encontrasse sua autoestima e conseguisse melhorar de sua doença, e depois de tanto sofrimento, fiquei feliz de ler que isso acontece antes que seja tarde demais pra ela como foi pra Cassie.





comentário(s) pelo facebook:

Um comentário:

  1. Esse livro é sensacional! Tá na minha lista de um dos melhores que li em 2012.
    É perturbador, com certeza, mas é um tema nem um pouco tratado em livros e acho que isso que me deixou mais curiosa. Cheguei até a chorar!

    ResponderExcluir