Frases Soltas: Livros que Marcaram a Minha Infância

16 de outubro de 2012

Livros que Marcaram a Minha Infância


Todo bookaholic tem um livro que marcou significantemente sua vida quando era criança.
Comigo não é apenas um só, são vários! Mas tem um motivo: eu era frequentadora assídua de bibliotecas quando era criança. Não só das bibliotecas como dos ônibus bibliotecas também, graças ao meu pai e a minha mãe, que me introduziram nesse mundo literário maluco e cheio de fantasia.

Ainda em ritmo de Dia das Crianças, vim mostrar pra vocês quais foram os três livros que mais me marcaram, e que eu me lembro com carinho até hoje.

1.      A Bolsa Amarela – Lygia Bojunga Nunes



Sinopse: A Bolsa Amarela já se tornou um 'clássico' da literatura infanto-juvenil. É o romance de uma menina que entra em conflito consigo mesma e com a família ao reprimir três grandes vontades (que ela esconde numa bolsa amarela)- a vontade de crescer, a de ser garoto e a de se tornar escritora. A partir dessa revelação- por si mesma uma contestação à estrutura familiar tradicional em cujo meio 'criança não tem vontade'- essa menina sensível e imaginativa nos conta o seu dia-a-dia, juntando o mundo real da família ao mundo criado por sua imaginação fértil e povoado de amigos secretos e fantasias.

Comentários: Me lembro de ter nove anos de idade e vir lendo este livro no caminho de volta da Biblioteca da Aclimação, vinha caminhando e lendo, sempre tomando cuidado pra não levar um belo capote, quando cheguei em casa, já tinha terminado o livro, aí reli no mesmo dia e no dia seguinte fui devolvê-lo morrendo de vontade de ficar com ele pra mim. Meus pais me deixavam ir a pé e sozinha pra Biblioteca porque era perto de casa e o mundo ainda não era tão perigoso.

1.      O Pequeno Vampiro – Angela Sommer Bodenburg



Sinopse: Anton adora ler histórias de terror, principalmente de vampiros, aqueles seres terríveis, com dentes enormes e afiados. Mas Anton nunca tinha ouvido falar de um vampiro como Rüdiger. É um vampiro muito simpático que, como Anton, também gosta de ler. Com ele dá até para brincar de "mocinho e bandido". 

Comentários: Sim, eu já gostava desse mundo sobrenatural desde que eu era criança, acredito que esse livro tenha sido a minha introdução ao mundo da literatura fantástica. Eu adorava as historinhas desse vampiro que bebia leite e de sua irmãzinha fofa. Uma pena que no ônibus biblioteca que encostava em São Mateus só tinha dois episódios da série, que hoje conta com mais de 20 livrinhos. Hoje, por serem livros infantis antigos, eles são muito difíceis de achar nas livrarias, qualquer dia desses vou freqüentar os sebos da Liberdade pra ver se eu encontro pras crianças.




1.      A Marca de Uma Lágrima – Pedro Bandeira



Sinopse: Isabel se acha feia. Será mesmo? Ou somente ela acha isso? Escreve cartas e versos para ajudar o namoro de Rosana, sua melhor amiga, com Cristiano, seu grande amor. Por causa da beleza e da verdade de suas cartas, Cristiano mais se apaixona por Rosana e mais aumenta a desesperança de Isabel. Sua situação agrava-se ainda mais com a morte da diretora da escola, pois a jovem é testemunha de que aquele aparente suicídio seria na verdade um bárbaro assassinato e, a partir de então, sua vida estará.

Comentários: Pedro Bandeira foi um autor que marcou muito a fase em que eu comecei a me sentir adolescente. Este livro do Pedro fez parte da época em que eu estava começando a olhar pro meninos de uma forma diferente, começando a sentir aquela sensação estranha e gostosa de gostar de alguém. Me identifiquei muito com Isabel porque ela gostava de escrever, coisa que eu também fazia, e por ela gostar de alguém que não correspondia esse sentimento.


E vocês? Quais livros que marcaram a sua infância? Me contem aí nos comentários!






comentário(s) pelo facebook:

4 comentários:

  1. Dos tres do lembro de ter lido a marca de uma lagrima. É uma livro que eu adoro e até hoje quando tenho um tempinho dou uma folheada.
    Os professores deveriam estimular a leitura na escola com livros tão interessantes quanto esses e que realmente conseguisse despertar o interesse deles. Não adianta coloca-los para ler O auto da barca do inferno ou coisas do tipo, eles acharam que todos os livros são tão complicados e chatos de ler quanto ele e desistiram de ler.


    Beijos
    Caline - mundo de Papel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você, na minha época era assim, eu tive ótimos professores de português que nos incentivavam com livros divertidíssimos.

      Infelizmente hoje, esse tipo de coisa não ocorre mais, leitura na escola geralmente se resume a livros de vestibular, em sua maioria escritos em português arcaico, aí fica difícil.

      Beijinhos e obrigada pela visitinha!

      Excluir
  2. Eu costumava ler os livros da coleção vaga-lume. Comecei a ler por eles e o primeiro que li foi A Ilha Perdida. Adorei! Comecei a pegar um livro depois do outro na biblioteca da escola e foi aí que surgiu esse meu gosto pela leitura.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O primeiro que eu li dessa série foi Um Gnomo Na Minha Horta, depois li vários na minha adolescência, acho que meu gosto por literatura surgiu daí tb.

      Beijinhos

      Excluir