Frases Soltas: Resenha: Guia do Herói para Vencer Dragões Mortais

1 de fevereiro de 2012

Resenha: Guia do Herói para Vencer Dragões Mortais


Este livrinho da série Como Treinar o seu Dragão foi um presente que minha grande amiga Naka deu de aniversário para o meu filho Gustavo, pra que ele pudesse completar a sua coleção.
Me aproveitando descaradamente do presente do meu filho, é claro eu incluí na minha listinha de leituras né, afinal, eu sou apaixonada pela dupla Soluço e Banguela.
Nesta nova aventura, Soluço tem que dar um jeitinho em mais uma bagunça que Banguela fez. Ele tem que ir até a Biblioteca e roubar um exemplar do livro Como Treinar o Seu Dragão, porque Banguela destruiu o que havia em sua tribo, e seu pai, o temido chefe Stoico, precisa dele para vencer uma aposta que fez contra Berta a Peituda.
Soluço parte escondido nessa jornada com a ajuda de seus amigos Perna de Peixe, Camicaze e os dragões Banguela e Mosca da Tempestade.
Seria um dia normal na vida de Soluço se este não fosse um dia especial, era o seu aniversário de 12 anos, e a única coisa que ele queria era um dia tranquilo.
Infelizmente o seu pedido não foi atendido, e ele teve que enfrentar Dragões Broca, o Bibliotecário maligno Cabelo Assustado e Insensato o Assassino para atingir o seu objetivo.
Este episódio das memórias de Soluço foi meio morno, não foi tão contagiante como as suas outras aventuras. Apenas duas coisas me chamaram a atenção, o tema das bibliotecas serem de acesso proibido e um livro que Soluço encontrou na Biblioteca escrito por um de seus ancestrais, Soluço Espantosicos Strondus II. Sempre me perguntei porque ele tinha esse nome se o seu pai se chama Stoico.
Infelizmente essa minha pergunta não foi respondida neste livro, mas torço pra que ele seja abordado pela autora em breve pra matar a minha curiosidade.
O enredo é fraquinho mas engraçado e as ilustrações dão um toque especial no livro. No final temos um mini dicionário de Dragonês pra que os leitores possam conhecer melhor o idioma que sempre tem grande importância na história.


comentário(s) pelo facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário