Frases Soltas: Resenha - Fortaleza Digital

11 de agosto de 2011

Resenha - Fortaleza Digital

Fortaleza Digital é o primeiro livro escrito pelo escritor Dan Brow, e tem um tema atual, que destrincha e nos revela como funciona a invasão de privacidade na surdina.
Neste livro, Dan nos conta a história de Susan e David, um casal de pessoas bem diferentes, mas que de alguma forma estão muito conectados. Ela, criptografa conceituada, funcionária da agência NSA, a maior agência de segurança dos Estados Unidos, e ele, um humilde professor universitário.
Tudo estava correndo às mil maravilhas na vida deste casal, até um dos funcionários da agência (Ensei Tankado), que não concorda com a quebra de sigilo das pessoas sem que elas tenham conhecimento, se demite e cria um algoritmo de criptografia indecifrável até para o mais poderoso computador da agência, o TRASNLTR, capaz de decifrar qualquer código existente.
Tankado disponibiliza o algorítimo na internet, para que as empresas interessadas participem de um leilão onde o programa que será vendido, só possui duas chaves existentes de desativação.
Strathmore, chefe da NSA, baixa esse arquivo da internet e acontece o improvável, mas já previsto por Tankado, o TRANSLTR não consegue decifrar o código contido ali. Isso desespera Strathmore porque se alguma empresa possuir o Fortaleza Digital, a NSA não conseguirá interpretar nem monitorar os códigos das mensagens, e isso seria muito perigoso nas mãos erradas, podendo colocar em risco a Segurança Nacional dos Estados Unidos.
Nesse meio tempo, Tankado que está na Espanha é assassinado, e Strathmore, decide colocar em prática uma manobra arriscada, convocando David, um civil que ninguém suspeitaria de estar envolvido com a NSA, para encontrar uma das chaves que ele acredita estar com o corpo de Tankado.
David parte para a Espanha nessa aventura arriscada, meio com a pulga trás da orelha, enquanto Susan se enrola cada vez mais numa trama sórdida planejada por uma pessoa de quem ela nunca desconfiaria.
Bom, não vou entrar muito em detalhes na resenha deste livro porque posso resumi-lo em uma só palavra: chato! E olha que de chatice eu entendo rs.
Sim, a chata dos livros aqui vai criticar. Me perdoem os fãs de Dan Brown, mas esse livro foi um dos mais chatos que eu já li.
Teve muita enrolação, muito termo técnico, diálogos que poderiam ter sido descartados, personagens como Midge e Brinkerhoff que não acrescentaram nada à trama, além de uma discussão repetitiva sobre o que estava acontecendo na criptografia e sobre o tal Gauntlet, que foi criado pelo inteligentíssimo Jabba (que tb não fez nada nessa história) para evitar que o TRANSLTR não pegasse nenhum vírus.
David é um herói bobo demais que é sempre salvo pelos acasos, Susan não é aquele personagem feminino forte que aparece nas outras obras de Dan, ela é muito ingênua, e pra uma criptografa tão inteligente, se deixou ludibriar demais.
Logo no início ficou óbvio quem era o mandante dos assassinatos, tive esperança de estar errada quando Hale entrou na história, mas pro meu desapontamento, minhas suspeitas se confirmaram no final e o mandante era mesmo quem eu tinha pensado que seria.
Eu tinha abandonado esse livro quatro vezes antes de pegá-lo pra valer, comprei ele em 2008 numa promoção no Submarino, e como não gosto de deixar as coisas pela metade, encarei como um desafio. Infelizmente to sentindo que perdi meu tempo... Foi uma leitura muito repetitiva e cansativa, e a palavra TRANSLTR apareceu 209 vezes! É eu contei só pra satisfazer a minha curiosidade rs!
Não vou contar o final, mas posso dizer pra quem for se aventurar nesse livro, que não preste muita atenção no prólogo, ou desvendará o mistério logo no começo da história.
Não recomendo.

comentário(s) pelo facebook:

8 comentários:

  1. Gosto é gosto mesmo, né? Porque eu AMEI esse livro! Foi o primeiro livro do Dan Brown que li e eu era bem novinha, talvez isso tenha me ajudado a gostar desse livro. Porque como era nova e foi o 1º livro dele que li, fiquei encantada com o jeito dele dele de escrever, o jeito que prende o leitor do início ao fim. Portando, Fortaleza Digital é um dos meus livros preferidos até hoje, amo de paixão
    Gostei da sua resenha, apesar de não concordar com você e de achar que o livro não é uma perda de tempo, haha.

    Beijão ♥
    Priscilla Duhau
    Livrificando

    ResponderExcluir
  2. Pois é Priscilla, gosto é uma coisa né flor! Esse não me cativou, nao teve jeito, eu tentei...

    Mas amei o Código da Vince e o Anjos e Demônios, em breve vou postar resenhas deles e ler os outros dois.

    Obrigada por comentar!

    Beijão!

    ResponderExcluir
  3. Você precisa ler Ponto de Impacto, pra mim é o melhor livro do Dan *-*

    ResponderExcluir
  4. Oi Ande!!

    Está na minha listinha de próximas leituras.

    São tantos livros pra ler e tão pouco tempo que as vezes queria que o dia tivesse mais de 24 horas!

    Obrigada por comentar =)

    ResponderExcluir
  5. No início da sua resenha eu tava achando que você ia falar mil maravilhas sobre Fortaleza Digital.
    Gosto muito do Dan Brown e me impressiona saber que este livro é chato, rs. Estou com ele aqui e, mesmo assim, ainda quero ler.
    Beijão

    ResponderExcluir
  6. Ai Babi, leia sim. De repente ele se mostra pra vc de uma forma que não se mostrou pra mim.

    É como a Priscilla disse aí em cima, gosto é gosto né rs

    Obrigada por comentar!

    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  7. Eu ainda estou lendo Fortaleza Digital, e estou realmente amando! É uma história envolvente, e realmente: Gosto é gosto...
    É o primeiro livro que leio de Dan Brown, mais já assisti ao O Código da Vinci.
    Tô gostando demais...
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oi Sofia!

    Eu adoro os livros O Código da Vince e Anjos e Demônios, mas esse infelizmente não me cativou =(.

    Ainda tenho mais dos dele pra ler, vamos ver se me surpreendo né =)

    Obrigada por comentar!

    Beijinhus.

    ResponderExcluir