Frases Soltas: A Torre Negra - Volume IV - Mago e Vidro

7 de junho de 2011

A Torre Negra - Volume IV - Mago e Vidro

Mago e Vidro começa diretamente do ponto onde terminou As Terras Devastadas, sem enrolação, o ritmo frenético continua nesta mais nova aventura do pistoleiro Roland e seu ka-tet em busca da Torre Negra.
No ínicio do livro, o ka-tet ainda se encontra dentro do monotrilho, pensando em adivinhações para que eles não morram no final da viagem. Depois de muitas adivinhas sem sucesso, o ka-tet consegue sobrecarregar os circuitos do monotrilho Blaine com adivinhações tolas e sem nexo, derrotando assim seu oponente e escapando com vida da jornada macabra.
Eles desembarcam em Topeka, uma cidade fantasma, cheia de destroços que foi dizimada por uma praga.
Ao acampar perto de uma lúmina, um portal interdimensional, Roland começa a ter lembranças de seu passado. E é a partir desse ponto que viajamos a um ponto da vida de Roland que foi muito importante pra ele, digo até mais, foi nesse ponto que Roland teve seu caráter definido.
Conhecemos seu primeiro ka-tet formado por seus grandes companheiros Cuthbert e Alain, sabemos o que o forçou a segurar uma arma pela primeira vez, conhecemos seu grande e verdadeiro amor Susan Delgado e seu trágico final. Vivemos uma história paralela ao futuro de Roland e sua busca pela Torre, onde ele enfrenta os Caçadores do Grande Caixão lutando contra uma conspiração que está sendo maquinada pelo Homem Bom.
Essa parte da história, apesar de um pouco cansativa, contribui bastante para que entendamos melhor Roland e a sede que ele tem de mudar o seu passado. E o fato dele contar essa história, há muito tempo guardada só pra ele, para seus aprendizes, também faz com que eles se sintam mais próximos ao pistoleiro, sendo solidários à sua dor.
Gostei muito desse volume por conta das descobertas que fazemos sobre Roland.
Ele é um pistoleiro implacável sim, mas também é um homem com um grande fardo e com lembranças muito doloridas. Foi fadado a perder todas as pessoas que amava e confiava do pior jeito possível, e ainda sim, continua persistente em seu objetivo. Entendi agora o receio dele em se aproximar de Jake no primeiro livro e de sua relutância em contar seu passado para seus aprendizes porque ele sabia que isso os aproximaria, e ter que lidar com mais perdas em sua vida não seria nada fácil, apesar da consciência de que isso pode e vai acabar acontecendo em algum momento.
Neste livro vemos a clara influência da história do Mágico de Oz. Temos o castelo, temos o caminho do feixe de luz, temos até um mago, que depois nos é identificado como o Homem de Preto. Descobrimos as muitas das personalidades das quais ele se disfarçou para ficar presente na vida do pistoleiro e que ele foi o maior responsável pela destruição de Gilead. Walter ainda não é derrotado aqui, ele deixa um bilhete para os pistoleiros avisando que eles devem desistir de sua busca pela Torre e que essa é a última oportunidade que eles terão.
Este volume é o maior da série, mas também o mais revelador. Conhecemos mais de Roland como eu disse mais em cima, conhecemos mais de sua busca pela Torre e conhecemos mais até do Homem de Preto. É neste livro que sentimos que agora o ka-tet está realmente unido e pronto pra enfrentar os desafios que virão em sua jornada pelo caminho do feixe de luz na busca pela Torre Negra.
Que venha Os Lobos de Calla!


comentário(s) pelo facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário