Frases Soltas: O Guia do Mochileiro das Galáxias 1 - Não entre em Pãnico

11 de abril de 2011

O Guia do Mochileiro das Galáxias 1 - Não entre em Pãnico

Quando terminei de ler esse livro pensei: “Douglas Adams devia ser mesmo um tio muito louco”. To até agora tentando assimilar o que diabos é um gerador de improbabilidade infinita!
O livro é uma verdadeira viagem, e não digo isso pela infinidade de nomes de planetas e de raças desconhecidos que são mencionados no decorrer da narrativa, mas sim pela história completamente maluca que o compõe.
Quando a Terra é invadida e destruída por uma raça alienígena chamada Vogons, o único que consegue escapar com vida é Artur através da ajuda de seu amigo Ford, que estava exilado na Terra há 15 anos disfarçado de humano. Eles “pegam uma carona” escondidos nessa nave Vogon, e quando são descobertos pelos aliens, são submetidos a uma sessão tortura de leitura de poemas e depois jogados nave afora no espaço para a morte certa.
Por um golpe de sorte, está passando uma nave por ali que os salva. Aí começa uma jornada completamente maluca atrás de um planeta há muito extinto, que vamos descobrir depois que na verdade só estava em sono profundo.
O desenrolar da história é um pouco confuso e cansativo. Os personagens são acrescidos de sopetão, fazendo com que a gente se perca um pouco. O fato do autor explicar algumas partes nos mínimos detalhes deixa a leitura chatinha.
Fora isso, o livro tem umas passagens muito boas. Me peguei rindo com algumas situações em que Marvin o robô deprimido se meteu, como a história da nave dos policiais intergalácticos, realmente foi cômico. Mas que sina essa dos robôs dessa história terem um transtorno de personalidade hein? Marvin é deprimido demais, os computadores ou são alegrinhos demais ou enjoados. Tem um que pelo amor, só não se sente a última bolacha do pacote porque sabe que vai projetar um melhor do que ele num futuro próximo.
Gostei da visão dele sobre o que a Terra realmente era e a teoria dos Ratos. Mas algumas coisas ficaram meio no ar pra mim, como o que os Ratos tinham haver com os caras que criaram o robô que sabia tudo? Ou melhor, porque os justamente os Ratos que encomendaram a Terra? E Trillian? Saiu da festa com Zaphod ou ele pegou ela no mesmo ponto da Galáxia que Artur e Ford?
Espero que essas questões sejam explicadas nos próximos livros.


comentário(s) pelo facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário